Eduardo Coutinho: Um mito do cinema brasileiro

Por Neusa Barbosa Cabra Marcado para Morrer é, por muitas razões, um filme que virou mito. Sem deixar de ser um grande, inesquecível, imperdível filme. Quando o projeto começou, no início dos anos 60, pensava-se numa obra de ficção, em que camponeses reencenariam uma história real, a do líder camponês João Pedro Teixeira, fundador da…

Ressignificações forjadas pelo tempo

Por Rafael Carvalho Rever Cabra Marcado para Morrer, hoje, um dos maiores e mais emblemáticos filmes de nosso cinema, faz pensar em algumas ressignificações que o tempo ajuda a construir. Num momento em que muitos acham novidade o estreitamento entre documentário e ficção em projetos recentes, o filme de Coutinho (como alguns outros) já passeava…

Linha do tempo de Cabra marcado para morrer

Por André Dib Cabra marcado para morrer nasceu como iniciativa do CPC / UNE e foi concebido como uma ficção que dramatizaria a morte do líder das Ligas Camponesas, o paraibano João Pedro Teixeira. Os atores seriam os camponeses, entre eles, Dona Elisabeth, no papel de si mesma. Na equipe estavam Leon Hirzman, Vladimir Carvalho,…

Eduardo Coutinho: Jogo de Cena (2007)

Da falação à engenhosidade do jogo Por Ivonete Pinto Como uma atriz que coloca suas vulnerabilidades em cena, esta articulista admite que, em sala de aula já  acusou Coutinho de fazer um cinema demasiadamente centrado na fala,  repetitivo, que ao explorar o documentário apenas como veículo de conversas intermináveis de seus personagens, beirava a um…

Eduardo Coutinho: Entrevistas (I)

Entrevista com Eduardo Coutinho Por Lucas Salgado Eduardo Coutinho é um dos mais brilhantes diretores brasileiros vivos, tendo realizado obras primas como Cabra Marcado Para Morrer e Edifício Master. Apesar da fama e do prestígio, leva uma vida simples e afastado de glamour. Com seu jeito peculiar e meio mal humorado, recebeu o AdoroCinema em…

Eduardo Coutinho: Moscou (2009)

“Moscou”, de Eduardo Coutinho, radicaliza na experimentação Por André Dib Ao final dos 78 minutos de Moscou, a reação estampada no rosto do público do Festival Paulínia de Cinema oscilava entre estranhamento e admiração. Não fosse o prêmio da crítica, sairia do festival de mãos abanando. Filme difícil. Até mesmo a parcela de cinéfilos e…