19239836

Sonia Braga brilha em “Aquarius”

Mariane Morisawa* “Aquarius” , primeiro filme brasileiro falado em português a participar da competição do Festival de Cannes em oito anos, foi recebido com oito minutos de aplausos na sua sessão de gala na tarde desta terça-feira, além de lágrimas de Sonia Braga. O segundo longa-metragem de ficção de Kleber Mendonça Filho, que conta com…

aquarius_2

“Aquarius”: protesto e aclamação em Cannes

Thiago Stivaletti* Foi uma daquelas conjunções inexplicáveis. Enquanto o Brasil vive o seu momento político mais grave dos últimos anos, com o impeachment de Dilma Rousseff e a extinção do Ministério da Cultura, a direita assumindo o poder do país e botando em prática as políticas recessivas de sempre, o pernambucano Kleber Mendonça Filho, opositor…

unnamed

O valor da memória

Francisco Russo* Você com certeza conhece a frase “o Brasil é um país sem memória”, legado de décadas de incompetência administrativa na manutenção de documentos e construções. Com a velocidade dos dias atuais e o avanço da tecnologia, pode-se dizer que tal conceito ficou ainda mais amplo com a inevitável transferência de CDs, DVDs e…

16134356

O mundo vertiginoso de Abbas Kiarostami

José Geraldo Couto* Quando o cineasta iraniano Abbas Kiarostami surgiu aos olhos do mundo com filmes como “Onde fica a casa do meu amigo?” (1987) e “Close-up” (1990), houve quem se apressasse em dizer que seu sucesso no circuito dos festivais se devia a uma curiosidade pelo exotismo. O tempo provou que esses críticos estavam…

Abbas Kiarostami em Porto Alegre, 2004 - Foto: Ivonete Pinto

Memória viva de Abbas Kiarostami

Ivonete Pinto* Na segunda-feira, dia da morte de Abbas Kiarostami, recebi mensagens e falei com algumas pessoas sobre o cineasta iraniano. Em dois desses contatos havia choro: um curador de uma mostra sobre Kiarostami e um cineasta gaúcho. O fato desses dois homens, que se relacionavam com os filmes do diretor iraniano de forma distinta,…