GUIDO ARAUJO, UMA LONGA JORNADA

Um depoimento pessoal Maria do Rosário Caetano Em dia recente, quando o mês de setembro se aproximava do fim, a professora Bohumila Araújo, a Mila, companheira tchecoeslovaca de Guido Araújo, me deu uma triste notícia: o criador da Jornada Internacional de Cinema da Bahia estava vivendo seus momentos derradeiros. Jorge Alfredo Guimarães, autor de série…

Guido Araújo em três décadas

Adolfo Gomes A primeira vez que vi Guido Araújo e ele já me convidou a sentar à mesa do cinema brasileiro.  Era 1995 e havia, na Jornada Internacional de Cinema da Bahia, uma mesa-redonda sobre os 40 anos da censura de “Rio 40 Graus”.  Nelson Pereira dos Santos estava presente, vários críticos, entre eles o Luiz Zanin…

Sobre Guido Araújo, a memória e o cinema

Adalberto Meireles Os contratempos abundam em qualquer festival, mas as Jornadas Internacionais de Cinema da Bahia eram hors concours em número de incidentes inusitados. Basta lembrar do encerramento de uma das edições: Via Negromonte e Nelson Xavier como mestres de cerimônias de uma concorrida noite de premiação na Reitoria da Ufba lotada e, pasmem, não…

O adeus a Guido Araújo

Luiz Zanin Notícias vindas da Bahia dão conta da morte de Guido Araújo, aos 83. Já sabíamos que andava doente e havia sido internado, mas sempre restava uma esperança. Em vão. Guido se foi e, com ele, toda uma parte da história do cinema brasileiro e baiano. Guido fez parte do núcleo original do filme…

Dois personagens bem brasileiros

Por Mônica Kanitz* Simplicidade e bom humor foram as qualificações do júri da crítica para considerar MAMATA como o melhor curta da mostra competitiva do 50o Festival de Cinema de Brasília. Com quase 30 minutos de duração, o filme do diretor baiano Marcus Curvelo propõe uma reflexão sobre a total falta de esperança no Brasil…