Nova Etapa da Sessão Abraccine começa hoje em Florianópolis

Cinema do Centro Integrado de Cultura acolhe, dia 15/08, às 19h, exibição do inédito “Boi de Lágrimas”, de Frederico Machado. Após a sessão, debate com as participações dos críticos de cinema Daniel Medeiros e Andrey Lehnemann
boin
 

Espaço de difusão do cinema brasileiro, a tradicional Sessão da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (ABRACCINE) está de volta ao cinema do Museu da Imagem e do Som, no Centro Integrado de Cultura, de Florianópolis. Desta vez, para promover o lançamento do longa-metragem maranhense “Boi de Lágrimas”, do realizador Frederico Machado, no dia 15 de agosto, às 19h, com entrada franca. Como de costume, após a exibição um bate-papo  vai analisar a obra com o público presente. A mediação do debate está a cargo dos críticos de cinema Daniel Medeiros, editor do blog de 7 Marte e membro da Abraccine, e Andrey Lehnemann, colaborador do jornal “Diário Catarinense”.

Novidades

É o primeiro filme de ficção a integrar a seleção de obras difundidas através do projeto da ABRACCINE – as três sessões anteriores privilegiaram documentários (“Cinema Novo”, “Outro Sertão” e “Quarto Camarim”). Outra novidade desta etapa, é a inclusão no circuito de exibições de duas novas capitais: Vitória, no Espírito Santo (sessão marcada para o dia 10 de setembro, no Cine Metrópolis); e Teresina, no Piauí (17 de setembro no  Espaço “Cinemas Teresina”). Também já estão agendadas sessões em Goiânia (Cine Cultura, dia 26 de agosto) e Belém, do Pará (3 de setembro, no Cine Líbero Luxardo). A ideia é superar as 15 cidades alcançadas na última itinerância da Sessão Abraccine, realizada entre abril e maio deste ano.

Produção independente

“Boi de Lágrimas” (Brasil, 2018, 60 minutos) é o quarto longa-metragem de Frederico Machado. O filme é uma obra com traços experimentais, que segundo o diretor, é um filme de horror sobre política e cultura popular. Contando a história de maneira livre e abstrata, o filme se concentra em cinco personagens: um homem que é tocador de pandeiro em um grupo de Bumba meu Boi da periferia de São Luís; sua filha, dançarina do Boi que resolve participar das manifestações políticas que ocorrem na cidade; o namorado da filha, que apenas é um escape para o desejo da filha; o amigo da família, que é um personagem que tem sentimentos ambíguos com todos os personagens que o circundam, e sua esposa, que grávida, aguardando com dor o nascimento de seu filho. Esses personagens, avulsos, são trabalhados apenas para servirem como propulsores de sentimentos e dualidades quanto ao momento social, político e cultural de hoje e sempre no Brasil. Mais do que a narrativa, o filme procura descobrir caminhos para linguagens. Feito como cinema de guerrilha, onde a equipe também trabalha como elenco, o filme se constrói sobre a égide da liberdade de criação.

Filmado durante apenas três dias, o filme teve custo de apenas 10 mil reais. A equipe e o elenco trabalharam de forma colaborativa. O filme pretende também em sua distribuição, se tornar uma ação inovadora. A estratégia é percorrer apenas festivais dos quais será convidado, não fazendo parte de nenhuma mostra competitiva. Além da distribuição no cinema ser restrita à Sessão Abbracine e, posteriormente, apenas com exibições em Cineclubes e Cinematecas.

O filme é, em suma, um exercício do fazer cinematográfico. “Boi de Lágrimas” está sendo descrito pela crítica como “um registro de nossa poderosa resistência poética”, fazendo ligações com o cinema de Glauber Rocha. Como atesta o crítico Marco Fialho, “enquanto Glauber  era fixado em um conceito modernista das artes, Frederico Machado é mais antenado a uma visão de contemporaneidade. Glauber era afeito à alegoria, inclusive nos discursos de seus personagens, já Frederico prefere recursos mais sóbrios. Mas a similaridade entre os dois vem mais de uma proposta de criar um mosaico que instaura ou assume o caos como realidade”.

O quinto longa-metragem de Frederico Machado, “As Órbitas da Água”, está em fase de montagem e será lançado em 2019.

Serviço

SESSÃO ABRACCINE: “Boi de Lágrimas”, de Frederico Machado. Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 14 anos
QUANDO: 15 DE AGOSTO DE 2018
HORÁRIO: 19h

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s