"Mato Seco em Chamas" (2022), de Joana Pimenta e Adirley Queirós - Divulgação

55º Festival de Brasília: “Mato seco em chamas”

*Simone Zuccolotto Resistência define o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que foi criado em plena ditadura militar pelo historiador, crítico de cinema, professor e ensaísta Paulo Emilio Sales Gomes e em 2022 chega a 55 edições. O Festival não aconteceu por três anos 1972, 1973 e 1974, por conta do recrudescimento da censura.  Memória…

“Rama Pankararu” (2022), de Pedro Sodré - Divulgação

Prêmio Abraccine no 26º Cine PE

O Júri da Abraccine no 26º Cine PE foi composto pelos críticos Pablo Villaça, Enoe Lopes Pontes e Alexandre Figueirôa (convidado). O festival aconteceu de 9 a 14 de dezembro de 2022, em Recife, Pernambuco. O prêmio de Melhor Longa foi concedido a “Rama Pankararu”, de Pedro Sodré, enquanto o prêmio de Melhor Curta foi…

"Fausto Fawcett na Cabeça" (2022), de Victor Lopes - Divulgação

Prêmio Abraccine no 17º Fest Aruanda

O Júri da Abraccine no 17º Fest Aruanda foi composto pelos críticos Ailton Monteiro, Renato Félix e Kalyne Almeida (convidada). O festival aconteceu de 1º a 7 de dezembro de 2022, em João Pessoa, na Paraíba. O prêmio de Melhor Longa ficou com “Fausto Fawcett na Cabeça”, de Victor Lopes, enquanto o prêmio de Melhor…

"Vicenta B." (2022), de Carlos Lechuga - Divulgação

Dossiê: 32º Cine Ceará

Entre os dias 7 e 13 de outubro, aconteceu, em Fortaleza, a 32ª edição do Cine Ceará. A Abraccine manteve sua parceria com o festival e a Aceccine (Associação Cearense de Críticos de Cinema) para a entrega dos prêmios de Melhor Longa Ibero-americano (“Inseparáveis”, de María Álvarez) e Melhor Curta Brasileiro (“Infantaria”, de Laís Santos…

"Meninos de Las Brisas" (Ninõs de Las Brisas, 2022), de Marianela Maldonado - Divulgação

32º Cine Ceará: Para Cuba e Venezuela, com amor

*Neusa Barbosa Confirmando a vocação do cinema para explorar caminhos que outros meios não alcançam, dois filmes da competição do Cine Ceará 2022 trouxeram retratos de dois dos países mais vilanizados pela mídia internacional, Cuba e Venezuela. A diferença é que, em se tratando de produções realizadas dentro desses países e por pessoas que os…

"Infantaria" (2022), de Laís Santos Araújo

32º Cine Ceará: “Infantaria”

*Raiane Ferreira Joana está prestes a completar 10 anos e brinca como uma criança que já quer ser uma jovem adulta. Seu irmão, Dudu, vive querendo chamar atenção da mãe e da irmã pela insatisfação de não ter um pai presente. No dia do aniversário da garota, Ludmilla, mãe de Joana, prepara sozinha uma festa…

Dossiê: 50º Festival de Cinema de Gramado

Entre os dias 12 e 20 de agosto, aconteceu o 50º Festival de Gramado, que retornou ao formato presencial após dois anos. A Abraccine manteve sua parceria com a Accirs – Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul no júri da crítica (confira os filmes premiados). E mais uma vez, reproduzimos aqui…

Dossiê: 11º Olhar de Cinema

Entre os dias 1º e 9 de junho, aconteceu a 11ª edição do Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba. Após o evento acontecer dois anos seguidos em formato online devido à pandemia de Covid-19, a realização em 2022 voltou a ser presencial em Curitiba. A Abraccine manteve sua parceria com o Olhar de…

Freda - Divulgação

11º Olhar de Cinema: Freda

*Rafael Carvalho Quando a mãe de Freda vai apresentar a filha ao novo pastor da igreja evangélica e ele estranha o nome dela, a garota confirma: “isso mesmo, é o nome de uma deusa vodu”, mais ou menos com estas palavras; a mãe rapidamente tenta justificar que aquele nome foi dado há muito tempo, que…

Freda

Prêmio Abraccine no 11º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

O Júri Abraccine no 11º Olhar de Cinema foi formado pelos críticos Rafael Carvalho, Flávia Guerra e Letícia Magalhães. O longa-metragem premiado foi “Freda”, de Gessica Geneus. Segue a justificativa do júri: Em meio a uma seleção de filmes com indivíduos encurralados pelas tantas questões do mundo contemporâneo, estagnados, mas buscando saídas, o Júri Abraccine…

54º Festival de Brasília: Alice dos Anjos

* Marcos Pierry Há um cinema baiano pós Café com Canela (2017), não necessariamente por efeito deste longa-metragem de Ary Rosa e Glenda Nicácio, que divisa uma pauta e um tratamento de delicadeza com o material abordado que vem chamando a atenção. Tanto mais ao se defrontar com o componente de subjetividade na lida com…

54º Festival de Brasília: Política das urgências, política dos afetos

*Renato Silveira Mais antigo festival de cinema realizado no Brasil e situado na capital federal, o Festival de Brasília tem como característica histórica exibir filmes de inescapável caráter político – aspecto que se fez presente na seleção de longas-metragens da 54ª edição, cuja realização virtual, em razão da pandemia de Covid-19, deu-se entre os dias…