Aquarius: inventário da memória

Ivonete Pinto* Fora temer que o cinema pernambucano diminua o número de produções, em função da possível futura falta de políticas públicas para o audiovisual, a qualidade segue como seu diferencial. “Aquarius”, o terceiro longa de Kleber Mendonça Filho, desde antes de seu lançamento ─ e turbinado pela seleção de Cannes ─, desponta como um…

Clara – a doença como metáfora em Aquarius

Luiza Lusvarghi* Nos primeiros longos minutos de “Aquarius”, percebemos, em meio a uma festa familiar, que Clara, a protagonista, vivida na juventude pela atriz mineira Bárbara Colen, e na maturidade por Sonia Braga, acaba de sobreviver a um câncer. E também que pertence a uma tradição familiar de mulheres ousadas e libertárias, que não se…

Aquarius

Carol Almeida* “Como eu poderia saber que esta cidade foi feita na medida do amor? Como eu poderia saber que você foi feito na medida do meu corpo?”, Ela pergunta em Hiroshima mon amour. No filme de Alain Resnais, é o amor entre duas pessoas o grande arquiteto da cidade, a régua que irá redesenhar,…

Clara e a resistência

Ângela Prysthon* Uma das recorrências mais marcantes do cinema de Kleber Mendonça Filho é a tentativa de ruptura com certo padrão de caracterização regional que tenderia ao folclórico e ao caricatural. Ainda que apareçam a “cor local”, o sotaque, a crônica urbana recifense, seus filmes evitam a celebração efusiva dos tipos regionais, o determinismo naturalista…

Uma mulher, suas memórias e o dever de resistir

Luciana Veras* “Aquarius é um filme sobre memória e sobre história, que não são muito valorizadas na nossa cultura”, define o realizador pernambucano Kleber Mendonça Filho. É, portanto, do acúmulo e da ação do tempo e das camadas de significados das lembranças – de uma mulher e seus objetos, de um apartamento, de uma cidade…

Tempo de Aquarius

Marcelo Lyra* Sônia Braga faz Clara, uma jornalista que já foi famosa e hoje é a última moradora de um pequeno prédio antigo (desses de três andares), à beira da praia de Boa Viagem, no Recife. Ele foi quase todo adquirido por uma construtora que pretende construir no lugar mais um espigão de 30 andares,…

“Aquarius” na Terra do Sol

Luiz Joaquim* Ainda que não estivesse nascendo em berço de ouro – como acontece nesse momento em que estamos publicando esse texto, com sua primeira exibição para a imprensa encerrada no 69ª Festival de Cannes –, o terceiro longa-metragem (segundo de ficção) de Kleber Mendonça Filho, “Aquarius”, já teria um lugar na história da cinematografia…

Aquarius mostra um Brasil transfigurado

Ernesto Barros* “Aquarius”, o novo filme de Kleber Mendonça Filho, que estreou nesta terça-feira (17-5) no Festival de Cannes, é um dos mais fortes e dilacerados retratos sociais da história do cinema brasileiro. O filme segue, em estilo, tom e ferocidade, a mesma disposição que o cineasta apresentou em “O Som ao Redor” ao demolir as…

Desejo, simbolismo e memória

Pablo Villaça* Duvido que haja no Festival de Cannes deste ano um filme mais repleto de afeto que “Aquarius”, segundo longa de ficção escrito e dirigido pelo pernambucano Kleber Mendonça Filho, responsável pelo maravilhoso “O Som ao Redor”. Povoado por personagens que (em sua maioria) se amam como parentes, amigos ou mesmo conhecidos da vizinhança,…

Sonia Braga brilha em “Aquarius”

Mariane Morisawa* “Aquarius” , primeiro filme brasileiro falado em português a participar da competição do Festival de Cannes em oito anos, foi recebido com oito minutos de aplausos na sua sessão de gala na tarde desta terça-feira, além de lágrimas de Sonia Braga. O segundo longa-metragem de ficção de Kleber Mendonça Filho, que conta com…

“Aquarius”: protesto e aclamação em Cannes

Thiago Stivaletti* Foi uma daquelas conjunções inexplicáveis. Enquanto o Brasil vive o seu momento político mais grave dos últimos anos, com o impeachment de Dilma Rousseff e a extinção do Ministério da Cultura, a direita assumindo o poder do país e botando em prática as políticas recessivas de sempre, o pernambucano Kleber Mendonça Filho, opositor…

O valor da memória

Francisco Russo* Você com certeza conhece a frase “o Brasil é um país sem memória”, legado de décadas de incompetência administrativa na manutenção de documentos e construções. Com a velocidade dos dias atuais e o avanço da tecnologia, pode-se dizer que tal conceito ficou ainda mais amplo com a inevitável transferência de CDs, DVDs e…

Dossiê/Balanço do “45º Festival do Cinema Brasileiro de Brasília” + Especial (Seminário Paulo Emílio e a Crítica Cinematográfica)

Por Ivonete Pinto Pernambuco ataca O 45º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro exibiu em competição nada menos do que sete filmes de Pernambuco: três longas de ficção, um documentário e três curtas.   Não concorrendo, ainda havia O Som ao Redor, de Kléber Mendonça Filho, na mostra Panorama Brasil. Esta invasão pernambucana faz lembrar que…

Dossiê/Balanço para o 40º FESTIVAL DE CINEMA DE GRAMADO

Quando solicitamos colaborações dos associados da Abraccine para a confecção de um dossiê/balanço a respeito do Festival de Gramado não esperávamos tanta disposição e colaboração. Postaremos agora as matérias, críticas, balanços gerais e os diversos comentários para o filme O Som ao Redor (de Kleber Mendonça Filho), na “conta” de cada colaborador. Dessa maneira, a…