O terror e seus símbolos

Por Ciro Inácio Marcondes* Se houve uma tendência – discreta, mas presente – na 48ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, esta foi a de um recrudescimento do filme de gênero (da comédia romântica ao neo noir), e, mais especificamente, do filme de terror, que aponta para uma curiosa nova configuração de certo…