Prêmio Abraccine no 52º Festival de Brasília

Em um ano tumultuado, o 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, que aconteceu de 22 de novembro a 1º de dezembro, ainda conseguiu trazer grandes filmes em sua seleção. O Júri Abraccine, formado pelas críticas de cinema Cecilia Barroso, Adriana Androvandi e Luciana Veras escolheu o filme O Tempo que Resta, sobre duas mulheres que sobrevivem às perseguições na Amazônia, como o melhor longa-metragem da seleção. Carne, animação que expõe as várias fases do ser mulher, foi escolhido como o melhor curta-metragem.

Júri Abraccine no 52º Festival de Brasília | Foto: Robledo Milani

JUSTIFICATIVA

Pela forma delicada e ao mesmo tempo incisiva com que aborda o passar do tempo para as mulheres e as várias questões levantadas sobre o corpo feminino; pela contraposição entre a leveza da linguagem e as diferentes experiências e realidades do corpo objetificado, o Prêmio Abraccine de melhor curta-metragem vai para Carne, de Camila Kater.

Pela forma como elabora o tempo, pela alternância entre observação e ação, pelo choque entre a exuberância do local e a crueza da realidade destas mulheres marcadas para morrer, mas que nunca perderam a fé na vida, o prêmio Abraccine de melhor longa-metragem vai para O Tempo que Resta, de Thaís Borges.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s