Lav Diaz: “críticos são, a seu modo, cineastas”

Bruno Ghetti * O diretor filipino Lav Diaz é daquelas figuras fáceis nos festivais de cinema, mas com penetração mínima no circuito comercial. Por razões estéticas, sem dúvida: seus filmes têm poucas falas, tomadas longas, planos afastados dos personagens e temas em geral tidos pelo grande público como excessivamente “complexos”. Mas há um outro elemento…

Era o Hotel Cambridge, de Eliane Caffé

Bruno Ghetti* Os tempos atuais não estão muito para moderação, e nesse sentido é essencial que apareçam filmes como “Era o Hotel Cambridge”. O longa de Eliane Caffé resgata um tipo de cinema abertamente partidário, combativo – quase “de tese”. No caso, a tese de que pessoas a quem a sociedade nega possibilidades de moradia…

Chantal captou a grandeza dos pequenos gestos

Bruno Ghetti* Chantal Akerman é um caso raro de unanimidade: todos reconhecem seu papel revolucionário. Para um número expressivo de cinéfilos (e quase a totalidade dos acadêmicos), ela merece respeito por ter criado uma obra cinematográfica muito peculiar, marcada por um meticuloso estudo dos gestos humanos, uma atenção especial às questões da mulher e pesquisas…