Dossiê: 48º Festival de Cinema de Gramado

Foi diferente, precisou de adaptações, mas o 48º Festival de Cinema de Gramado aconteceu em 2020, apesar da pandemia. Entre os dias 18 e 26 de setembro, as obras selecionadas para competitiva foram exibidas no Canal Brasil, tendo ainda exibições on-line de curtas, mostra gaúcha e os debates das competitivas.

A Abraccine manteve sua parceria com a Accirs – Associação de Críticos de Cinema do Rio Grande do Sul no júri da crítica. E mais uma vez, reproduzimos aqui o dossiê organizado pela associação com os principais destaques dessa edição.

Para ter acesso, basta clicar no título da matéria. Boa leitura!

O Imaginário e a sociedade: cinema fantástico, Gramado e algumas reflexões, por Isabel Wittmann, integrante do Júri da crítica Accirs/Abraccine do 48º Festival de Cinema de Gramado

Gramado em compasso de espera, por Amanda Aouad, integrante do Júri da crítica Accirs/Abraccine do 48º Festival de Cinema de Gramado

Martín Desalvo e o Jaguaretê, por Caroline Zatt da Silva, integrante do Júri da crítica Accirs/Abraccine do 48º Festival de Cinema de Gramado

Road movies pela mesclada América Latina, por Caroline Zatt da Silva

48º Festival de Cinema de Gramado #5: um balanço geral das mostras competitivas, por Matheus Pannebecker, integrante do Júri da crítica Accirs/Abraccine no 48º Festival de Cinema de Gramado

Sobre Construção, de Leonardo Da Rosa, por Carla Oliveira, integrante do Júri da Crítica Accirs na Mostra Gaúcha de Curtas – Prêmio Assembleia Legislativa, no 48º Festival de Gramado

Sobre Deserto estrangeiro, de Davi Pretto, por Paulo Casa Nova, integrante do Júri da Crítica Accirs na Mostra Gaúcha de Curtas – Prêmio Assembleia Legislativa, no 48º Festival de Gramado

Fragmentos ao vento 1945, por Chico Izidro, integrante do Júri Accirs que concedeu o prêmio da crítica ao filme Fragmentos ao Vento 1945 na Mostra Gaúcha de Curtas – Prêmio Assembleia Legislativa, no 48º Festival de Gramado.

“O samba é primo do jazz” revela trajetória musical de Alcione, por Siliane Vieira, jornalista e crítica de cinema do Jornal Pioneiro (Caxias do Sul)

O melhor curta-metragem gaúcho no 48º Festival de Cinema de Gramado, por Ivonete Pinto, presidente da Abraccine, professora dos cursos de Cinema da UFPel e editora da Revista Teorema

Ten-Love e suas duas partes, por Ivonete Pinto

Documentário acompanha sírios refugiados no Uruguai, por Adriana Androvandi, jornalista e crítica de cinema do jornal Correio do Povo (Porto Alegre)

Nos fotogramas da memória – Notas a partir de Ver a Vista e O Luto Impossível, por Daniel Dalpizzolo, colaborador no site Cineplayers, na revista eletrônica Multiplot, no fanzine Zinematógrafo e blog pessoal Stage Fright.

* Imagem do filme King Kong en Asunción de Camilo Cavalcante que levou o prêmio de melhor filme brasileiro do festival.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s