A escolha do olhar

Fabrício Cordeiro* Um ano, 13 planos, um para cada jantar de uma família migrante na China. O núcleo, concentrado principalmente em um barraco minúsculo (quarto, sala e mesa de jantar estão num único cômodo), é apresentado de imediato: o pai trabalhador, operário de construção; a mãe, dona de casa; a avó, já muito idosa e…

Prêmio Abraccine no 5º Olhar de Cinema

De 8 a 16 de junho foi realizado na capital paranaense o 5º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba. O júri da crítica organizado pela Abraccine, formado por Adolfo Gomes (BA), Cynthia Schneider (PR), Fabrício Cordeiro (GO), Lucas Salgado (RJ) e Rodrigo de Oliveira (RS), elegeu o longa chinês “Um outro ano/ You…

Olhar 2016: destaques da competição

Rodrigo de Oliveira* Os documentários foram o principal destaque da 5ª edição do festival paranaense Olhar de Cinema, em um ano em que os longas-metragens nacionais também se mostraram mais interessantes do que os títulos internacionais escolhidos pelos programadores do evento. A premiação deixou claro que os trabalhos de não-ficção foram bem sucedidos na comunicação…

Olhares ancestrais

Adolfo Gomes Há quanto tempo não ouvíamos: isto é um homem! Eis o que é uma nação…É chegado o momento de voltar às questões fundamentais. Renomear as coisas, pensar, uma vez mais, como elas se formaram e como existem ou o que são hoje. A ancestralidade é o que une os diversos olhares no 5º…

Cinema-observação

Lucas Salgado* Olhar de Cinema. O nome do evento parece escolhido por acaso, talvez numa tentativa de se fugir do lugar comum que é o uso de termos como “mostra” ou “festival”. Mas este não é o caso. Olhar está diretamente ligado a proposta de curadoria e engloba a mostra competitiva de curtas e longas…

“A Cidade do Futuro” e a pedagogia das imagens

Adolfo Gomes* Muito emocional, a primeira exibição pública de “A Cidade do Futuro”, de Cláudio Marques e Marília Hughes, durante o “V Olhar de Cinema”, realizado em Curitiba, já sinalizava para a adesão do público ao filme. O que viria a resultar na premiação da obra pelo júri popular do Festival, encerrado no último dia…

“Guerra do Paraguay”: texto teatral, imagem cinematográfica

João Nunes* Um filme difícil, mas que impressiona pela radicalidade: em preto-e-branco (homenagem ao neorrealismo, segundo o diretor), cinematograficamente sustentado apenas por poucos planos-sequências (quatro ou cinco), exposto a partir de linguagem teatral e tendo como sustentação dramatúrgica um complexo (e belíssimo), texto igualmente teatral. Com toda sua complexidade narrativa, “Guerra do Paraguay”, do veterano…